Tipografia nos meios digitais

Designers que vivenciaram a transição entre o off-line e os meios digitais perceberam que são duas realidades que exigem técnicas diferentes quando trabalhadas. Porque o comportamento das pessoas é diferente. Enquanto peças online proporcionam visualização mais rápida, os materiais impressos podem ser vistos com mais tempo, analisados e entendidos, em casos de livros ou revistas. Essas caraterísticas influenciam diretamente no conceito visual do layout e até no uso da tipografia mais adequada.

O meio digital precisa proporcionar rápida leitura e o usuário não quer perder tempo, caso contrário, ele procura outra página para se informar. A não ser que tenha um interesse específico, as pessoas não ficam mais do que oito segundos concentradas em uma página, segundo um estudo conduzido pela Microsoft. A pesquisa foi realizada em 2013 e parece que o tempo vai diminuir cada vez mais. No ano 2000, o tempo dispendido lendo uma página era de 12 segundos.

Esses dados talvez expliquem o porquê do sucesso de redes sociais de rápida comunicação, como o Twitter e o WhatsApp. As pessoas querem agilidade quando estão conectadas.

Ajuda ao usuário

Ao criar o layout de um site, landing page ou mesmo blog, o designer não pode perder o foco de oferecer ao usuário o prazer de ler conteúdo com rapidez. A escolha de fontes para websites que mais agrade o usuário incentiva a leitura do início até o fim (evidente que a qualidade do texto responde por 90% do estímulo). Já uma escolha errada na tipografia pode afugentar o leitor.

Fontes serifadas, aquelas que têm a base com um tracinho, como se fosse um “pezinho” (exemplo: Fonte Times) funcionam bem em materiais impressos, principalmente em textos longos, como nos livros e matérias de revistas. Segundo especialistas, o espaçamento nas fontes serifadas é muito semelhante e faz a visão ter menos trabalho em decodificar os símbolos, a leitura fica menos cansativa. Lembre-se que textos longos exigem maior concentração e, por isso, levam mais tempo para serem lidos e compreendidos.

Em materiais digitais o apelo é outro e letras com serifas causam efeito contrário do que ocorre nos livros. A visão cansa rapidamente porque esse tipo de fonte acaba “embaralhando” a visão devido à luminosidade do monitor, principalmente em textos longos que exigem tempo maior de leitura. Esse é um belo exemplo da diferença entre material off-line e online.

Tipografia nos meios digitais

Escolha da fonte mais adequada

É claro que dependendo da finalidade do trabalho que for realizado, é possível, sim, usar fontes mais trabalhadas em materiais digitais. O público final que será impactado também deve ser levado em conta. Exemplos: Sites de fotógrafos ou de estúdio de design podem usar tipografias diferentes, porque precisam transmitir o universo criativo desses dois segmentos. Letras mais soltas, distorcidas ou que formem ícones, não causarão estranheza nas pessoas. Elas vão entender a proposta do site.

Tomando um outro exemplo, mas de atividades tradicionais, como escritórios de advocacia ou consultoria corporativa, fontes serifadas funcionam melhor, pois transmitem seriedade, sofisticação e organização.

Já setores que precisam demonstrar força e solidez, como construtoras ou bancos, por exemplo, fontes mais robustas e pesadas em títulos, refletem melhor a atividade dessas empresas.  

Para ajudar designer de todos os calibres, existem sites especializados em criar e fornecer tipografias diferentes e variadas. Alguns são gratuitos e outros cobram pelo download e utilização do material.

Onde encontrar fontes variadas

FONTES GRÁTIS DISPONÍVEIS

Font Squirrel (www.fontesquirrel.com): Possui uma grande quantidade de tipografia, algumas são, segundo o site, “quase de graça”. É possível fazer bons trabalhos com a variedade que possuem.

Google (www.google.com/fonts): Até o gigante da internet tem um acervo de fontes. A variedade não é grande, apenas 804. São as fontes mais usadas na internet e suficientes para fazer trabalhos de qualidade e colocar à prova o talento dos designers.

FONTES PAGAS

Typekit (www.typekit.com): Possui milhares de fontes e uma equipe de designers especializados em criar tipografias novas. Para fazer download de qualquer fonte o serviço é cobrado e para quem é desenvolvedor, eles fornecem códigos em HTML prontos, que facilitam a aplicação em sites, landing pages, blogs, etc.

Linotype (www.linotype.com): Com mais de 125 anos de criação, a Linotype é sinônimo de Linotipo, nome de uma das fontes mais utilizadas em todo o mundo. Ela oferece milhares de fontes e sempre possui algumas em oferta que chegam a 70% de desconto.

Webloop (www.webloop.com.br): Empresa brasileira com variedade de fontes, algumas são pagas e outras gratuitas. Além de fornecer fontes tipográficas, a Webloop trabalha com desenvolvimento de sites, aplicativos para celular e sistemas web.


Atenção: Quando for utilizar qualquer tipo de fonte para web design, certifique-se se ela tem copywriter, significa que é preciso pagar direitos autorais para utilizá-la. Usar sem a autorização do autor é crime e pode comprometer o trabalho que pode até ser retirado do ar e causar grande prejuízo, além de respingar na reputação do cliente. Todo cuidado é pouco para evitar processos judiciais custosos.


Fontes: Wix / Tabless / Design Zero Um

 

Entre em contato para tirar suas dúvidas sobre o assunto e discutirmos as necessidades do seu negócio.

Assine a nossa
newsletter

As novidades não param de chegar, fique sempre antenado em primeira mão.